Jovens das oficinas de Audiovisual da Prefeitura tem aula prática na Feevale

Jovens das oficinas de Audiovisual da Prefeitura tem aula prática na Feevale

Publicado em 21/05/2019 - Editado em 23/05/2019
Alunos da oficina conheceram o estúdio da TV Feevale
Crédito
Betina Ludwig

Uma aula diferente, curiosa e muito produtiva. Essas foram as definições que os estudantes das oficinas de Audiovisual deram à atividade realizada recentemente na Universidade Feevale. Workshops de TV, áudio, fotografia e roteiro foram oferecidos aos alunos dos bairros Kephas/Vila Diehl, Santo Afonso, Boa Saúde e Canudos que participam das oficinas oferecidas gratuitamente pela Prefeitura Municipal de Novo Hamburgo (PMNH), por meio do Programa de Desenvolvimento Municipal Integrado (PDMI).

Divididos em quatro territórios prioritários, estudantes de quatro bairros puderam colocar em prática tudo o que já aprenderam na teoria. Os jovens chegaram tímidos no estúdio de TV da Feevale, no Núcleo de Rádio e no Espaço Cosmos, mas foram se soltando e no final nem queriam ir embora. Foi ali que eles puderam se enxergar na tela, ouvir suas vozes e produzir uma forma de se aproximar ainda mais ao mundo audiovisual.

Para a estudante Raissa Carvalho, 14 anos, esse foi um momento único. “Em casa a gente tem uma noção muito diferente de como funciona esse mundo. E agora eu já sei se me perguntarem. Além do que estamos vendo na oficina, colocar isso em prática já nos dá um diferencial. E com o projeto temos mais visão para o futuro”, disse. Já a jovem Julia Salazar, 15, contou que a oficina entrou na sua rotina pelo interesse em fotografia, mas que hoje todos os elementos fazem parte da sua vida. “A gente conhece um pouco de todas as áreas e hoje vendo essas pessoas que trabalham com isso aumenta o nosso interesse. E o projeto oferece todas essas possibilidades de forma gratuita e isso é muito bacana”, destacou.

Conforme a educadora social da Base Pronasci, Mirela Souza, é fundamental eles terem esse tipo de experiência. “Aqui eles podem ver de fato como funciona a parte por trás das câmeras. Então, fizeram gravações, viram como funciona a edição e assim foram somando com o que eles já sabiam”, contou. A técnica social Maria Cristina Rocha dos Santos enfatizou que a comunicação é importante e que a oficina permite que os jovens se desenvolvam tanto no pessoal quanto profissional. “A comunicação não é algo que é abordado na grade curricular nas escolas, mas sabemos que ela é fundamental. Eles amaram e acho muito válido ter essas trocas com profissionais que já estão no mercado”, finalizou.

O projeto tem o financiamento do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

Galeria da notícia