Defesa Civil forma agentes mirins

Defesa Civil forma agentes mirins

Linha de apoio
Formatura foi na manhã deste sábado e reuniu comunidade escolar da EMEF Adolfina Diefenthäeler
Publicado em 07/12/2019 - Editado em 09/12/2019
Alunos receberam treinamento em encontros semanais durante dois meses
Crédito
Aline Pires/PMNH

Um grande laboratório de segurança comunitária. Assim o coordenador da Defesa Civil, tenente Claudiomiro da Fonseca, conceitua o curso realizado durante dois meses que formou, na manhã deste sábado, 27 agentes mirins da Defesa Civil, na Escola Municipal de Ensino Fundamental Adolfina Diefenthäeler. As crianças tiveram acesso, em encontros semanais, a treinamento e noções do uso do extintor de incêndio e combate ao fogo, de defesa civil, primeiros socorros, preservação ambiental, avaliações em situações de risco e atividades de campo. A iniciativa da prefeitura ocorre por meio da Defesa Civil, secretarias municipais do Meio Ambiente (Semam) e da Educação (Smed) em parceria com a Universidade Feevale. “O programa consolida o trabalho realizado na instituição e fortalece o vínculo e a troca de conhecimento entre as famílias e a comunidade”, diz a coordenadora do programa de Educação Ambiental em Desastres da Feevale, Danielle Paula Martins.

Para Fonseca, o importante é que a partir de agora estas crianças serão multiplicadoras do conhecimento que adquiriram, sendo capazes de identificar situações de risco em suas casas, escolas e trajeto. “Não fiquem com este conhecimento retido, passem adiante, e apesar de termos aprendido a manusear extintores, não brinquem com fogo”, pontuou o tenente em seu discurso. Ele destaca a participação dos pais como essencial no processo de aprendizado das crianças por terem permitido o acesso ao curso. A participação das famílias, diz, é complemento ao trabalho de professores e demais parceiros.

Consequências e atitudes positivas

E é isto que a família do aluno Vitor da Rosa, 13 anos, percebe após a conclusão do curso. Pais orgulhosos acompanharam o menino na manhã de sábado, com a certeza de que o filho, escolhido como orador da turma, tem noções importantes e decisivas para a segurança da família. “Fiquei surpreso com tudo o que aprendi porque não imaginava o quanto se pode aprender e prevenir quando se trata de acidentes. Gostei de todas as atividades, aprendemos a fazer a planta da casa para identificar rotas de fuga diante de algum acidente, primeiros socorros, tudo é importante”, afirma o menino, que mora com os pais e uma irmã de sete anos.

Vanusa Vieira da Silva, 36, mãe de Vitor afirma notar atitudes positivas na rotina do filho como consequência do curso, como o cuidado com o meio ambiente e a correta destinação do lixo.

No ano que vem, o projeto terá seguimento e a diretora da Adolfina Andréa Zimmer, coloca a escola novamente à disposição. “Nossas portas sempre estarão abertas a essa proposta, pois como sempre disse a minha mãe, conhecimento não ocupa espaço. Aqui produzimos conhecimento”, sinaliza Andréa.

Galeria da notícia