Começa a primeira etapa do Núcleo de Orquestras Jovens

Começa a primeira etapa do Núcleo de Orquestras Jovens

Linha de apoio
Quatro primeiras escolas recebem visita da equipe de ensino do projeto
Publicado em 08/08/2018 - Editado em 09/08/2018
Ao todo, o Projeto Núcleo de Orquestras Jovens deve atender 52 escolas da rede municipal
Crédito
Rafael Petry

Na terça-feira, dia 7, teve início a primeira etapa do Projeto Núcleo de Orquestras Jovens de Novo Hamburgo. A Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF) Arnaldo Grin e a EMEF Eugênio Nelson Ritzel foram os primeiros espaços de ensino a receberem a visita dos quatro professores que ensinarão teoria e prática musical aos alunos do projeto. Durante o encontro, foram apresentados os instrumentos que serão estudados no projeto: violino, viola, violoncelo e contrabaixo. Além das características e sonoridades de cada um, os instrutores realizaram uma apresentação, mostrando que os instrumentos clássicos também podem ser usados em diversos estilos musicais.

Aluno do sexto ano da EMEF Eugênio Nelson Ritzel, José Eduardo da Silva Teixeira, de 12 anos, ficou motivado com a possibilidade de participar do projeto. “Foi muito interessante ver eles tocarem e gostei muito do som do violino. Agora quero aprender a tocar também”, contou animado. Para a diretora da escola, Denira Liesenfeld, o Núcleo de Orquestras Jovens vem de encontro com as propostas de ensino e formação. “Estas atividades vão proporcionar caminhos que consideramos justos e melhores, que é o que queremos para nossos alunos”, comenta.

O projeto do Núcleo de Orquestras Jovens de Novo Hamburgo é uma parceria entre o Instituto Arlindo Ruggeri e a Prefeitura de Novo Hamburgo, através da atuação conjunta da Secretaria de Educação (Smed) e da Secretaria da Cultura (Secult). Nesta primeira fase, quatro escolas municipais formarão os primeiros polos de ensino. Serão destinados 100 instrumentos de cordas distribuídos nos espaços, sendo 25 para cada núcleo. Com início previsto para segunda quinzena de agosto, o projeto oferece aulas de instrumentos de cordas friccionadas. “Estamos mobilizando estas escolas para apresentar os instrumentos que as crianças terão oportunidade de ter aula e incentivar as inscrições deles”, destaca o chefe de gabinete da Secult.