Nível do Rio dos Sinos sobe, mas consumo consciente precisa continuar

Nível do Rio dos Sinos sobe, mas consumo consciente precisa continuar

Linha de apoio
Nas bombas de captação da Comusa, medição atingiu 2,68 m, o que deixa o rio dentro da média para o mês de maio
Publicado em 13/05/2020 - Editado em 14/05/2020
O nível se aproxima da média mensal dos últimos dois anos
Crédito
Divulgação

Com as chuvas desta semana, o nível do Rio dos Sinos deixou a situação crítica que estava desde o começo do mês de março. Com mais de 2,68 metros, o nível se aproxima da média mensal dos últimos dois anos, depois de quase 6 meses sem um volume significativo de chuvas no Estado. A medida deixa o Sinos dentro da média para o mês de maio. No entanto, a situação ainda pede o consumo consciente da população, até que as chuvas se tornem mais recorrentes e o rio volte ao seu nível normal.

O diretor-geral da Comusa - Serviços de Água e Esgoto de Novo Hamburgo, Eduardo Antônio Bonato, destaca que a atual estrutura da autarquia conseguiu garantir o abastecimento de todo o Município mesmo nos momentos mais graves da crise hídrica. “Estivemos em uma situação única na história da Comusa. Felizmente, graças ao trabalho incansável dos nossos servidores e todos os investimentos feitos aos longos dos últimos anos, passamos por todos esses meses sem necessidade de racionamento ou falta de água no Município”, comenta.

“Mesmo assim, esse não é o momento de relaxar. Precisamos manter a cultura do consumo consciente, sem desperdício de água tratada pelo menos até que voltemos ao nível normal do Rio dos Sinos. Assim, vamos continuar garantindo que todos recebam água tratada sem falta”, destaca Bonato.